quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Mensagem aos Pesquisadores

QUE AS REFLEXÕES DE FIM-DE-ANO DESPERTEM
OS NOSSOS SONHOS DE INFÂNCIA
E NOS ANIMEM A PROCURAR

UM NOVO CAMINHO NOVO.
                                                       

sábado, 17 de novembro de 2012

Faces da Inconfidência


O Coletivo CINCO é um grupo formado a partir do inusitado encontro de artistas, vindos de diferentes regiões do país, vinculados ao curso de Artes Aplicadas da UFSJ. Por meio da Mostra intitulada "Faces da Inconfidência: ecos criados a partir do imaginário artístico contemporâneo", apresentada recentemente no Espaço Cultural da Universidade Federal de Sâo João Del-Rei, pretendeu-se revigorar diálogos a respeito do movimento separatista, conhecido historicamente como Inconfidência Mineira. As características estéticas da produção de cada artista, olhares que extrapolam a representação formal dos personagens escolhidos, trazem à tona questões conceituais que certamente contribuirão para agregar novas referências ao universo simbólico atrelado ao tema.

As máscaras expostas representam os Inconfidêntes. (Arte: divulgação)

Segundo o coletivo, cada um dos cinco artistas participantes apresenta cinco máscaras: uma para cada segmento representado na articulação das ideias do Movimento Inconfidentes: Religioso, Poeta (optamos pela representação da Inconfidente Sanjoanense Bárbara Heliodora, esposa do poeta Alvarenga Peixoto); Militar, e outras duas, com representações fortemente sedimentadas no imaginário popular local: Mártir (Joaquim José da Silva Xavier) e Traidor (Joaquim Silvério dos Reis), totalizando 25 retratos/máscaras.

sábado, 27 de outubro de 2012

Fazenda Paraopeba ainda está de pé!



Quem passa pela MG-383 perto do limite de Conselheiro Lafaiete e São Braz do Suaçuí, na região central de Minas, e vê uma propriedade quase em ruínas dificilmente imagina a história que pesa sobre a castigada estrutura. Mas era ali que o advogado e poeta Inácio José de Alvarenga Peixoto recebia, no século 18, amigos que planejavam se livrar do domínio da coroa portuguesa. O grupo, composto entre outros pelos também poetas Cláudio Manuel da Costa e Tomás Antônio Gonzaga e pelo alferes Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, encabeçava a Inconfidência Mineira e usou a Fazenda Paraopeba para reuniões.(Reprodução do Facebook)

Resenha da apresentação do Prof. Altino, no III Encontro de Pesquisadores

Veja a resenha escrita pela pesquisadora Nilza Cantoni:



quinta-feira, 20 de setembro de 2012

sábado, 15 de setembro de 2012

Memória e oportunidades


Palestras mostram a importância da preservação do patrimônio histórico como fator de oportunidades para a comunidade

A Fazenda Florença, exemplo de preservação



No próximo dia 21 de setembro, sexta-feira, às  20 horas, a  Associação Médica de Barbacena, localizada na Rua  Heider Pereira Teixeira, 125, apresenta as palestras “Encontros de Pesquisadores do Caminho Novo”, com o Prof. Luiz Mauro Andrade da Fonseca (do Centro de Memória Belisário Pena) e a “Geração de rendas através da Educação Patrimonial”, com o Dr. Paulo Roberto dos Santos, historiador e proprietário do Hotel Fazenda Florença, de Conservatória, município de  Valença, no estado do Rio de Janeiro.

 O Professor Luiz Mauro fala sobre o êxitos dos Encontros de Pesquisadores


Caminho Novo
Na sua palestra, o professor e médico Luiz Mauro fará um relato dos resultados obtidos nos três encontros já realizados, reunindo pesquisadores das mais diversas disciplinas, tendo como pano de fundo a história do Caminho Novo, posteriormente conhecido no seu trecho principal como Estrada Real. “Após os encontros realizados em Barbacena, São João Del-Rei e Conselheiro Lafaiete, já temos um saldo bastante positivo pois, nestes eventos conseguimos mobilizar e dar visibilidade a dezenas de trabalhos de pesquisa e envolver áreas importantes como genealogia, cartografia, história oral, dentre outras, destaca o Prof. Luiz Mauro.


 O Dr. Paulo Roberto ( à esq.) atuando em um dos saraus 

História e turismo
Já Paulo Roberto dos Santos, traz um depoimento bastante interessante para quem vê na história e na preservação do patrimônio histórico uma boa oportunidade de negócio. Formado em Odontologia, no Rio de Janeiro, e um apaixonado por História do Brasil, Paulo Roberto adquiriu a histórica Fazenda Florença, localizada em Conservatória e transformou-a em um dos mais bem sucedidos projetos de hotel-fazenda do Brasil. Com sua arquitetura totalmente preservada, mobiliário original, carruagens e uma infraestrutura hoteleira bem cuidada, a Fazenda Florença foi a antiga propriedade dos Barões de Itambé e mantém a paisagem típica das fazendas do Ciclo do Café. Um dos aspectos mais interessantes do empreendimento comandado por Paulo Roberto é fato de que, além do belo cenário, a história da fazenda e do período em que ela foi construída são contados aos hóspedes por meio de saraus e visitas guiadas, que o que agrega mais valor à experiência vivenciada pelos visitantes. Também são oferecidas visitas aos estudantes da cidade de Vassouras que aprendem desde cedo a conhecer e a valorizar sua própria história.
A promoção tem o apoio da Academia Barbacenense de Letras e as palestras começam às 20 horas, com entrada franca. Informações: (32) 3331-3376

(Edson Brandão)

Resenhas do III Encontro

Com a colaboração da companheira Nilza Canton, publicamos mais duas resenhas das palestras apresentadas no III Encontro dos Pesquisadores do Caminho Novo, em junho de 2012:


Comunicação de Luciomar de Jesus:





Comunicação de Mauricéia  

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Fazenda do Registro Velho com poucas esperanças de recuperação

A ação popular movida contra a União Federal, para que fosse restaurada a Fazenda do Registro Velho, foi extinta sem resolução do mérito, conforme sentença publicada no Diário do Judiciário em 31/08/2012.

De acordo com o juiz federal Sidney Garcia Filho, não pode haver pedido de obrigação de fazer em ação popular, pois pedidos desta natureza deverão ser objetos de ação civil pública.

Observou ainda o juiz que “a atual situação do bem imóvel não está sendo negligenciada pelas autoridades públicas”. Conforme lembrou o juiz na sentença, o “Ministério Público Federal vem adotando as medidas pertinentes à conservação e restauração da Fazenda Registro Velho no âmbito do inquérito civil nº 1.22.014.000150/2010-21, assim como a questão também está sendo debatida nos autos da ação civil pública 005605100009-1, movida pelo Ministério Público Estadual contra o Município de Barbacena”.

Independente de recurso, a sentença será reexaminada pelo Tribunal Regional Federal da Primeira Região e só produzirá efeitos após ter sido confirmada pela segunda instância


Veja íntegra da decisão no blog: http://fazendadoregistrovelho.wordpress.com/

domingo, 5 de agosto de 2012

Diários de Langsdorff

O pesquisador Danuzio Bernardino da Silva, um dos organizadores da importantíssima edição e tradução dos diários do Barão de Langsdorff, está vendendo algumas coleções restantes dos Diários. Em sebos, a coleção chega a custar de 240 a 400 reais. Direto com o autor os três volumes podem ser adquiridas  por 150 reais. Oportunidade imperdível. Contatos: danuzio@hotmail.com ou pelo telefone  (19) 91114721. São as últimas coleções dessa importante publicação.

sábado, 4 de agosto de 2012

As assinaturas divinas

O médico e pesquisador Geraldo Barroso de Carvalho lança livro que expõe um tempo em que a medicina e alquimia se misturavam


 A Capa do livro e Paracelso o médico alquimista
O médico e pesquisador de história da medicina, Geraldo Barroso de Carvalho está divulgando seu novo livro: As Assinaturas do Criador, Teoria esdrúxula, Terapias Absurdas.

Neste que é seu sexto livro, Geraldo Barroso vai fundo na história dos primórdios da medicina para mostrar como componentes mágicos, superstições e até alquimia se misturavam à medicina tradicional, na tentativa de se obter a cura de doenças, em tempos em que a ciência ainda dispunha de poucos recursos para explicar a origem e os mecanismos de ação de patologias que sempre acometeram homens e mulheres. 

A Teoria dos Sinais foi criada pelo médico e alquimista Paracelso (1493-1541) e que defendia a ideia de que em cada ser animado ou inanimado existem sinais que indicam uma força sobrenatural, inclusive com poderes curativos.

Segundo o autor na introdução do livro, A alquimia era como que uma mescla de elementos da química, da astrologia, da filosofia e da antropologia associados, de um lado, à matemática e, de outro, à magia, ao misticismo e à religião. Seus objetivos básicos eram: a transformação de metais inferiores em ouro; a obtenção do Elixir da Longa Vida, um remédio miraculoso, capaz de curar todas as doenças e de prolongar a vida; encontrar a Pedra Filosofal, objeto mágico capaz de proezas como transformar ferro em ouro. 

O nome maior da alquimia era Phillipus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim (1493-1541), conhecido como Paracelso. Ele foi um famoso médico dedicado à astrologia, à alquimia e à física. Formou-se em Viena e obteve o título de doutor em Ferrara, na Itália. Por se considerar superior a todos os viventes, adotou o pseudônimo de Paracelsus, ou seja, a par ou superior a Celsus, grande escritor e médico romano, do primeiro século da era cristã.” Paracelso teve uma vida agitada e criou teorias e doutrinas bizarras. Bombástico, como seu próprio nome sugere, fez da fantasia um marco na sua vida, porém muitas pessoas ainda julgam que ele revolucionou a terapêutica. Há os que o elogiam por suas realizações em química e consideram-no nada menos que o verdadeiro fundador da bioquímica”, diz Dr. Geraldo Barroso.

Uma teoria exdrúxula


No livro, o autor relata que embora inteligente e observador, Paracelso desconhecia métodos adequados de experimentação, de modo que suas proposições não tinham uma base científica segura, mesmo que tenham representado um pequeno avanço, na história da Medicina. Entre as muitas teorias e doutrinas imaginadas por Paracelso ele foi autor de uma doutrina baseada em analogias, que foi difundida de tal modo que ela ainda tem seguidores em nossos dias, pois a medicina, com todo o seu avanço, ainda não se livrou dos ranços dos supersticiosos. A teoria de Paracelso é a chamada Doutrina das Assinaturas, também conhecida como Teoria das Assinaturas (ou dos Sinais ou dos Signos). Em meio a frascos e caldeirões de líquidos borbulhantes exalando estranhos odores e exibindo cores variadas , Paracelso buscava um meio de produzir ouro puro, a partir de metais vulgares. Evidentemente fracassou nessa tarefa. Do mesmo modo, não conseguiu descobrir a pedra filosofal, capaz de promover a milagrosa transformação. Estava certo de que, com seus métodos, iria descobrir um modo de curar todos os males. 


Doutrina das Assinaturas


As mensagens ou sinais divinos estariam sutilmente mostrados em todas as coisas que existem na terra: no homem, nos animais, nas plantas, nas pedras, nos astros, num princípio que habitaria todos os seres, o “princípio interior do desenvolvimento”, entenda-se lá o que isso queira significar. William Turner (1508-1568) é considerado o pai da botânica inglesa. Ele teria sido o primeiro a levar para o terreno vegetal a Doutrina das Assinaturas, de Paracelso, ao afirmar que Deus gravou nas plantas mensagens a ser decifradas, indicadoras de suas virtudes. Entretanto, um dos maiores seguidores de Paracelso foi o napolitano Giovanni Battista Della Porta (1536-1605). Para muitos, ele teria sido o primeiro a procurar nos vegetais a rubrica do Criador. Della Porta estudava os vegetais e passou a anotar os sinais que indicavam as virtudes que eles escondiam. Procurava a assinatura divina nas plantas, pois ela estaria oculta no caule, na casca, na raiz, nas folhas, nas flores, nos frutos, nas sementes, no caule, na haste ou no talo. Numa flor, por exemplo, o sinal do Criador poderia estar no formato, na cor, no aroma, no local em que floresce.

Assim, ao longo do livro, Geraldo Barroso apresenta diversas plantas e animais cujos poderes curativos só eram visíveis para quem conhecesse a estranha teoria. Em cada verbete, o autor faz um comentário e pequenas trovinhas. Nelas, com muito humor, o médico revela como “eram absurdas, as terapias dessa exdrúxula teoria”.


Trecho da obra...

O BAMBU (Bambusa vulgaris)

Existem 90 gêneros e 1.230 espécies de bambu disseminados pelo mundo, em várias condições climáticas. Os bambus crescem até sua completa altura e perímetro em uma única estação de crescimento, que dura de três a quatro meses, com crescimento vertical, sem ramificar, nesta primeira temporada. No segundo ano, a parede polposa de cada colmo ou haste se seca e endurece. Do colmo começam a brotar pequenos galhos e folhas em cada nó. Mas, afinal, que utilidade especial teria o bambu, na medicina?  Na ótica dos adeptos da Doutrina das Assinaturas, Deus colocou o bambu na superfície da terra, com sinais inequívocos de que essa planta tem poderes extraordinários. Se ele cresce rapidamente e atinge grandes alturas, o chá de suas folhas deve ser um excelente remédio para o desenvolvimento estatural das crianças nanicas. Seus nós, que o tornam septados, lembram a coluna vertebral. Por isso, o Criador do Universo apôs sua assinatura definindo outra virtude extraordinária dessa gramínea longa e retilínea. O mesmo chá, que se indica para acelerar o crescimento de uma criança rombuda, está indicado também para tratar todos os desvios da coluna.

Muito alto e septado,
Assim o fez o Senhor.
Está bem assinalado
O sinal do Criador!

O bambu tem tanta altura
Que eu já posso imaginar:
Ele estica a criatura
Que demora a se esticar

É de Deus a assinatura
Que se vê no bambuzal
Da coluna ele cura
O desvio mais brutal

Nanismo ou escoliose
Chá de bambu é que cura.
Não importa nem a dose,
Mas, de Deus, a assinatura

Menino muito rombudo,
Coluna mais distorcida.
Chá de bambu cura tudo
Se tomado sem medida


.
 Dr. Geraldo Barroso, respeitado pesquisador mineiro

 Sobre o autor

Nascido em Cipotânea, Geraldo Barroso de Carvalho é médico especializado em Dermatologia e Hansenologia. Sempre foi um apaixonado pela história de Minas Gerais e a história da própria profissão. Com isso, tornou-se um dos principais pesquisadores da história da medicina no país. É membro do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, da Academia Mineira de Medicina, do Instituto Mineiro da História da Medicina, da Sociedade Brasileira de Médicos escritores e da Academia Barbacenense de Letras, além de ser um dos diretores do Centro de Memória Belisário Pena, ligado à Associação Médica de Barbacena. Escreveu dois livros que contam a história de Cipotânea e outros três: Doenças e Mistérios de Aleijadinho, Reis, Papas e Leprosos e Meu Santo Protetor. O livro sobre Aleijadinho teve repercussão internacional, pois além de relatar fatos da vida do mestre do barroco mineiro, ainda foi um dos raros trabalhos de paleopatologia realizados no Brasil. Nesse trabalho, o Dr. Geraldo exumou os ossos do escultor mineiro e defendeu a tese de que além da hanseníase, Aleijadinho sofria de uma doença conhecida como porfiria.

SERVIÇO
As Assinaturas do Criador, Teoria esdrúxula, Terapias Absurdas
200 páginas, ilustrações de Edson Brandão
Editora Cidade de Barbacena
Contatos: (32) 3331-3366

segunda-feira, 2 de julho de 2012

As primeiras imagens do III Encontro de Pesquisadores


O Advogado Alex Guedes fala sobre Direito e preservação
Um final de semana especial para o pesquisadores do Caminho Novo. O III Encontro de Pesquisadores do Caminho Novo, realizado no auditório da Secretaria Municipal de Educação de Conselheiro Lafaiete cumpriu extensa programação e pode ser considerado um grande sucesso.
Confiram algumas fotos feitas pelo pesquisador Alex Guedes dos Anjos e Mauro Alvim:
 Dr. Luiz Mauro e Prof. Francisco Rodrigues na abertura dos trabalhos

 Abertura dos trabalhos

 O pesquisador Wilton Ferreira diante da tentadora banca de livros da Quarup

 O Prof. Jairo Machado, do IPHAN e o pesquisador Sheldon

 Fala do Prof. Jairo sobre a palegrafia


 O escultor Mauro Alvim e o desenhista e escultor Luciomar, de Congonhas

 A palavra da Anfitriã, Mauricéia Maia, secretária de cultura de Conselheiro Lafaiete

sábado, 16 de junho de 2012

III Encontro de Pesquisadores do Caminho Novo: programa


Programação completa (com sinopses)

Sexta-feira, 29 de junho de 2012
Auditório da Secretaria de Educação e Esportes, Praça Queluz, 11, Centro
PARTE TEÓRICA – Comunicações de 30 minutos cada
08:00h – Inscrição no local - Início de  venda de  livros pela Livraria Quarup (Juiz de Fora)
08:30h – Abertura / Apresentação

09:00h – “Primeiras sesmarias do Caminho Novo” – Prof.s Francisco Rodrigues de Oliveira e Luiz Mauro Andrade da Fonseca (Barbacena).
Sinopse: os autores apresentam uma relação de primeiros sesmeiros do Caminho Novo, em Minas Gerais, de Simão Pereira até Conselheiro Lafaiete, na primeira metade do século XVIII, baseada em relato de viajantes, mapas antigos e documentos tributários.
Autores: Francisco Rodrigues de Oliveira, engenheiro agrônomo (UFV, 1956). Mestre em Matemática (UnB) e Meteorologia (UFV). Memorialista. Membro da Associação de Apoio ao Arquivo Público de Barbacena e Centro de Memória Belisário Pena (Barbacena) / Luiz Mauro Andrade da Fonseca: médico (UFJF, 1973), memorialista, professor de Patologia Geral e de História da Medicina (Faculdade de Medicina de Barbacena). Membro do Instituto Mineiro de História da Medicina e da Sociedade Brasileira da História de Medicina. Membro da Fundação Casa de Cabangu (Santos Dumont) e do Centro de Memória Belisário Pena (Barbacena).
 09:30h – “A paleografia na pesquisa histórica” – Prof.s Jairo Machado Braga (São João Del Rei) e Sheldon de Carvalho (Barbacena)
“Leitura Documental” - Professor Jairo Braga Machado
Sinopse: Apresentação de um breve estudo sobre leitura documental, conceituando de maneira breve o que é paleografia, conceito de documento, documento público e privado. Na oportunidade, será também apresentado a compreensão da paleografia enquanto instrumento fundamental para a realização e desenvolvimento d pesquisa histórica, tendo como suporte a documentação cartorária dos séculos XVIII, XIX e XX.
Autor:  Professor Jairo Braga Machado: Graduado em História , especialista em Metodologia da História, Brasil República e Arquivologia, diretor do Arquivo Histórico do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. de São João del-Rei- MG
-"Transcrição Documental: oportunidade de trabalho e desenvolvimento cultural" .
Sinopse:
Apresentação de uma reflexão sobre as possibilidades do ofício de transcritor/pesquisador consoante à formação de oportunidades de trabalho e geração de um setor promissor para o mercado, bem como uma alavanca ao desenvolvimento da produção cultural pela facilitação e acessibilidade na divisão do trabalho de pesquisa entre o transcritor/pesquisador e o autor de uma pesquisa.
Apresentação: Sheldon Augusto de Carvalho é graduado em História pela Universidade Presidente Antonio Carlos de Barbacena (UNIPAC). Mestre em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Doutorando em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professor do quadro efetivo do município de Conselheiro Lafaiete.
10:00h – Café / pausa
10:30h – “A integração incompleta das instituições preservacionistas e culturais de Minas Gerais” – Prof. Alex Guedes dos Anjos (Barbacena).
Sinopse:  apresentação das principais instituições de preservação de bens culturais e a forma como se relacionam.
Autor: Alex Guedes dos Anjos é advogado (UNIPAC-2002), conselheiro do Patrimônio Histórico e Artístico de Barbacena, membro honorário do Movimento pela Defesa da Cidadania, coordenador da Comissão de Defesa de Prerrogativas dos Advogados da Subseção de Barbacena da OAB-MG.
10:00h – “Os Índios Carijós nos primórdios de Conselheiro Lafaiete” – Prof.a Mauricéia Maia (Conselheiro Lafaiete).
Sinopse: abordagem geral de fontes que discutem a vida dos índios carijós que deram origem a Conselheiro Lafaiete.
Autora:  Mauríceia Maia, professora, responsável pelo Conselho de Patrimônio Cultural e secretária municipal de Cultura de Conselheiro Lafaiete.
11:30h – “Santeiro, além da matéria” –Escultor Luciomar de Jesus (Congonhas).
Autor: Luciomar Sebastião de Jesus, natural de Congonhas (1964), escultor (arte aprendida no Seminário Caraça), desenhista, publicitário, funcionário da Fundação Cultural de Congonhas.
 12:00h – almoço
14:00h – “A Teoria das Assinaturas e o Caminho Novo” – Prof. Geraldo Barroso de Carvalho
Sinopse: Comentário sobre uma estranha teoria, criada no início do século XVI, por Paracelso, sobre analogias existentes entre certos sinais apresentados pelos seres da terra (que estariam ocultos ou camuflados) e as suas virtudes. Essa Teoria das Assinaturas chegou a ser usada no Brasil para descobrir as virtudes curativas de certas plantas e misturou-se à pratica médica popular e à de um cirurgião-barbeiro português.
Autor:  Geraldo Barroso de Carvalho é titulado em Dermatologia (SBD) e Hansenologia (ABH), ex-professor de dermatologia da Faculdade de Medicina de Barbacena, membro efetivo da Academia Mineira de Medicina, do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, da Sociedade Brasileira de História da Medicina, da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores, do Centro de Memória Belisário Pena e das academias barbacenense e valenciana de letras.
14:30h – “A Genealogia no Século XXI: metodologia de pesquisa” – Prof. Gustavo Almeida Magalhães de Lemos (Rio de Janeiro – Colégio Brasileiro de Genealogia – Gen-Minas).
Sinopse: O grande desafio a ser enfrentado pelos genealogistas do presente é adequar as suas pesquisas aos métodos utilizados pela História e Ciências Sociais. A Genealogia pode prestar uma grande contribuição para a História, na medida em que o enfoque do passado, do ponto de vista da família, ajuda a entender melhor os processos históricos e os caminhos de penetração.
Autor: Gustavo Almeida Magalhães de Lemos: Graduado em Ciências Econômicas, com ênfase na área de pesquisa social. Dedicou-se, nos últimos dez anos, a desenvolver uma metodologia de pesquisa mais científica em uma atividade praticada por leigos em História na sua maioria.

15:00h“Arquivologia: técnicas de preservação e conservação” – Prof.a Andréia de Freitas Rodrigues (Juiz de Fora)
Sinopse: A apresentação trata de uma breve introdução à conservação de documentos, apontando fatores de deterioração e ressaltando os aspectos mais importantes na realização da conservação de um acervo, visando a preparação contínua das pessoas envolvidas e preocupadas com a formulação e execução de políticas de proteção e promoção do patrimônio cultural e salvaguarda de documentos em papel.
Autora: Andréia de Freitas Rodrigues: Restauradora da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), atuando como conservadora na Coordenação de Preservação do Arquivo Histórico/Arquivo Central – UFJF, desde 2010. Graduou-se em Artes e Design pela UFJF em 2005. É mestre em História, pelo Programa de Pós-graduação em História (UFJF – 2009). Possui diversos cursos de aperfeiçoamento em Conservação e Restauro, pela Universidade Santa Úrsula e Restaurart, no Rio de Janeiro. Tem atuação na área de Artes, com ênfase em Artes plásticas, trabalhando principalmente com os seguintes temas: articulações entre arte, história, memória; representações da melancolia; preservação, conservação e restauração em diferentes suportes, especialmente papel.
15:30h – “Inscrições latinas nos monumentos de Minas Gerais” – Prof. Aldo Eustáquio Assir Sobral (Ouro Preto).
16:00h – Café / pausa
16:30h – “O Caminho Novo entre o Arraial dos Carijós e Conselheiro Lafaiete por meio da cartografia e de outras iconografias” – Prof. Antônio Gilberto da Costa (Belo Horizonte)
SinopseApresentação do traçado e de algumas transformações envolvendo o Caminho Novo na região de Conselheiro Lafaiete, do início do século XVIII (Arraial dos Carijós) ao início do XX, quando então Queluz de Minas passou a se chamar Conselheiro Lafaiete.
Autor: Antônio Gilberto é natural de Conselheiro Lafaiete, geólogo pela UFMG, Doutor pela Universidade de Clausthal Zellerfeld, Alemanha, foi Diretor do Instituto de Geociências da UFMG, de 1998 a 2006 e atualmente coordenada o Centro de Referência em Cartografia Histórica da UFMG e a Rede de Museus e Espaços de Ciência e Cultura da UFMG. Entre outras, organizou e é co-autor das obras: - Os Caminhos do Ouro e a Estrada Real (Premio Jabuti 2006); - Roteiro Prático de Cartografia: da América portuguesa ao Brasil Império (Premio Jabuti 2008) e As Rochas e Histórias do Patrimônio Cultural do Brasil e de Minas.
17:00h – “Album Chorographico Municipal de Minas Geraes (1927)” – Fundamar – Fundação 18 de Março - Prof.a Maria Lúcia Prado Costa (Belo Horizonte) - http://www.albumchorographico1927.com.br
Sinopse: esta obra rara da cartografia brasileira está disponível na web acompanhada de estudos críticos de especialistas em cartografia histórica; história; linguística e planejamento urbano. São 178 mapas aquarelados acrescidos de desenhos a bico de pena dos principais bens ambientais e arquitetônicas dos municípios de Minas Gerais. O site dispõe de um índice de localização dos atuais 853 municípios nos territórios apresentados no álbum corograico. E apresenta em verbetes a toponímia de cada localidade. E traz breve biografia dos realizadores desta obra de 1927, realizada em comemoração ao centenário da Independência do Brasil.
Autora:  Maria Lúcia Prado é graduada em História e Mestre em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável pela UFMG. É assistente social e coordenadora das oficinas de arte-educação e artesanato da Fazenda-Escola Fundamar, da Fundação 18 de Março, em Paraguaçu/MG.
17:30h – “Vias de Minas – Caminho Novo e Ferrovias” – Prof.a Helena Guimarães Campos (Belo Horizonte).
Sinopse: Apresentação de um breve estudo comparativo entre as estradas coloniais do século XVIII que integram o roteiro do Programa Estrada Real - com ênfase no Caminho Novo - e as ferrovias que serviram Minas Gerais nos séculos XIX e XX. Aborda-se de forma comparativa o traçado, as técnicas construtivas e aspectos históricos ligados à economia, ao trabalho, às relações sociais, ao imaginário e às práticas culturais.
Autora: Helena Guimarães é graduada em História, Especialista em História da América Latina e em Educação Ambiental, Mestre em Ciências Sociais, Coordenadora do Núcleo Educação, Cultura e Cidadania da ONG Trem - Transporte e Ecologia em Movimento, Integrante do Movimento de Preservação Ferroviária e da Academia Ferroviária de Letras.
18:00h – “Caminho Novo em 3D” – Prof. Ângelo Alves Carrara (UFJF).
Sinopse: apresentação do projeto "O Caminho Novo em 3D", que busca relacionar os aspectos históricos (econômicos e sociais, principalmente), às modernas tecnologias de difusão do conhecimento. O objetivo fundamental é apresentar um modelo de reconstituição do Caminho Novo capaz de permitir ao usuário do programa uma aproximação consistente dos principais elementos condicionantes das viagens no século XVIII.
Autor: Angelo Alves Carrara é professor da Universidade Federal de Juiz de Fora, doutor em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; responsáveis pelo projeto Thiago Berzoini e Gáyan Justo de Moraes.
18:30h – “Mapeamento Interativo da Estrada Real -Caminho Novo” – Prof. Altino Caleira (PUC-BH)
Sinopse: apresentação do multimídia contendo informações sobre os bens culturais tombados em níveis federal, estadual e municipal nos municípios que fazem parte do Caminho Novo da Estrada Real. Esta pesquisa foi elaborada no Laboratório de Estudos Urbanos e Regionais do programa de Pós-graduação em Geografia/Tratamento da Informação Espacial da PUC-Minas e contou com o apoio financeiro da FAPEMIG.
Autor: Altino Barbosa Caldeira, Ph.D. Graduado em Arquitetura pela UFMG. Especialista em Cultuar e Arte Barroca pela UFOP. Doutor em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Sheffield, Inglaterra. Pós-Doutor pela Universidade de Bolonha, Itália. Professor do curso de Arquitetura e Urbanismo e Coordenador-Adjunto do Programa de pós-graduação em Geografia da PUC-Minas. Cel: (31) 8471- 7229 // Tel: (31) 3413-6370
20:30hCoquetel, restrito aos participantes do encontro, apresentação de violeiros do local, sediado e patrocinado pela Casa de Cultura de Conselheiro Lafaiete. A Casa de Cultura “Gabriella Mendonça”, situada à rua Comendador Baeta Neves, 68 –Centro, é uma construção do final do século XVIII em pedra e pau-a-pique, coberta de telhas. O sobrado onde funciona a Casa de Cultura, situado na antiga Rua Direita, é um dos poucos marcos, ainda de pé, da história queluziana. As “Violas de Queluz” são instrumentos musicais de origem portuguesa, introduzidas no cenário cultural brasileiro através da colonização e catequização jesuítica. Existem dezenas de modelos de violas no Brasil, sendo a viola caipira a mais conhecida, no entanto, a “viola de Queluz” é a que representa Minas Gerais no universo musical.

Sábado, 30 junho 2012 -
PASSEIO CULTURAL (por adesão)
09:00h – saída
09:30h – Alto das Bandeirinhas– Monumento aos Inconfidentes.
- Monumento criado para reverenciar os inconfidentes da antiga Carijós e da Real Vila de Queluz, considerando o Alto das Bandeirinhas o local para homenagear os inconfidentes de Queluz e a Tiradentes.
10:00h – Passeio pelo Caminho Novo dentro da cidade de Conselheiro Lafaiete.
-Trajeto a ser apresentado pela Prof.a Mauricéia Maia.
10:30h – Visita à Matriz de Nossa Senhora da Conceição.
Templo construído a partir de 1732. O painel do altar-mor, os retábulos e altares possuem características das três classes barrocas do Brasil Colonial e de outras estéticas posteriores, que configuram o processo histórico de mais de duzentos e cinquenta anos.
11:00h às 13:00h – Restaurante Moinho Velho
 Bate-papo e almoço.
14:00h – Visita à Estalagem do Lourenço, com monumento a Tiradentes e trecho do Caminho Novo.
-Trata-se de visita ao sítio arqueológico da Varginha (MG129, km2, junto à Estrada Real), no município de Conselheiro Lafaiete, onde se encontram as ruínas da Estalagem da Varginha do Lourenço (local de reunião de inconfidentes), a Gameleira (de 500 anos, onde se pendurou uma perna de Tiradentes) e o Monumento a Tiradentes (feito pelo Raul Amarante Santiago).
15:00h – Visita ao Museu Municipal para conhecer o seu acervo e também apreciar a exposição especial de cartografia histórica intitulada “Dos Sertões das Minas de Ouro a Minas Gerais”, organizada pelo Prof. Antônio Gilberto da Costa.
-O acervo do Museu, apresenta centenas de documentos do século passado, livros da Câmara, hemeroteca, obras de arte, coleções de variedades, vestuário, porcelanas, jornais, revistas e literatura informativa.

INFORMAÇÕES GERAIS:
- A inscrição será feita na hora, no local.
- A inscrição será de R$30,00 ( trinta reais) para os assistentes, não sendo cobrada dos palestrantes.
- A taxa da inscrição não cobre as despesas com almoço, jantar e passeio cultural.

- Outras informações: Prof. Luiz Mauro –(32)3331-7590 – email lmkultur@hotmail.com

- A escolha de hotéis poderá ser feita livremente pela internet (Hotéis de Conselheiro Lafaiete).
 Algumas sugestões:
. HOTEL CARUMBÉ- (31) 3763-1555
. RHUDS HOTEL – (31) 3763-4199 
. VILLA REAL HOTEL – (31) 3763-4042 –
. MINAS APART HOTEL – (31) 3763- 1920